O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, defendeu nesta quinta-feira que a busca de um tratado de paz para acabar oficialmente com a Guerra da Coreia, a poucos dias de um encontro de cúpula com o dirigente norte-coreano Kim Jong Un.

“O armistício que se arrasta há 65 anos deve chegar ao fim”, disse o presidente a representantes de empresas dos meios de comunicação.

“É necessário buscar a assinatura de um tratado de paz após a declaração do fim da guerra”.

O conflito bélico (1950-53) terminou com um armistício, ao invés de um tratado, o que significa que as duas partes continuam, tecnicamente, em guerra. A zona desmilitarizada, que divide a península e onde acontecerá a reunião de cúpula em 27 de abril, está repleta de minas.

Moon condiciona um eventual tratado de paz ao abandono por parte do Norte de seus programas militares e balísticos.

“Se a reunião de cúpula intercoreana e o encontro de cúpula entre Coreia do Norte e Estados Unidos resultarem na desnuclearização, acredito que não será muito difícil estabelecer acordos práticos no sentido amplio sobre um regime de paz, a normalização das relações entre o Norte e os Estados Unidos ou uma ajuda internacional para melhorar a economia norte-coreana”, declarou.

O presidente americano Donald Trump advertiu que cancelará a reunião prevista com o dirigente norte-coreano se considerar que não será frutífera. Washington deseja a desnuclearização total da Coreia do Norte.

Fonte: ISTOÉ – https://istoe.com.br